terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Reflexos.

Estava sozinha naquela sala e em silêncio, podendo ouvir o som da cidade quente lá fora, o som dos carros, do caos. Ouvia também um som que vinha de dentro dela, deixando o clima pesado: o som do seu vazio interior. Olhava para os prédios posicionados atrás dela, que podiam ser vistos pela janela refletidos pela tela do computador. Estavam atrás, bem perto, mas pelo reflexo pareciam tão distantes, sem vida, inalcançáveis. A luminosidade emitida pelo sol era tão intensa a impedia de vê-los com mais detalhes. Assim, curvou-se olhando para trás para reparar nos tantos prédios que ali permaneciam e começou a refletir, pensando em quantas coisas em sua vida também haviam ficado para trás - coisas importantes, que um dia foram indispensáveis, mas que hoje não passam de reflexos. Sentiu dor, tristeza e um pouco de desespero misturado com solidão. Parecia que assim como estava sozinha naquela sala - sem ninguém - estava também sozinha em sua vida, em sua caminhada - e continuou a ouvir o barulho lá fora e a ausência de barulho dentro dela, que a perturbava. Ficou pensando por alguns minutos em tudo que a vinha acontecendo, tantos sofrimentos, mudanças, perdas, e em meio a tantos pensamentos envoltos de desgraça, eis que surge uma coisa bela e encantadora - o canto de um pássaro. Ele cantava baixinho, tão baixo que ela precisava se concentrar para ouví-lo, tendo que ignorar todos os sons da cidade e a poluição sonora que a envolvia. Aquele canto suave havia surgido na hora certa, na hora mais improvável, porém necessária. Ela particularmente admirava os pássaros, pois eles pareciam representar a liberdade, a beleza, os sonhos e naquele momento para ela, mais do que isso, eles representavam a superação, o desapego, talvez o recomeço. Naquela tarde escaldante de janeiro, onde o calor é tão intenso que ninguém consegue prestar atenção nas coisas e nas pessoas a sua volta, ela se deu conta de que mesmo que tudo pareça estar infinitamente acabado, destruído e sem cor, sempre vai haver um pássaro cantando ao fundo, basta você querer ouvir.

2 comentários:

  1. Gostei muito!! Pensamentos muito bem dispostos, me senti praticamente nessa situação. Parabéns!!

    ResponderExcluir